Foto: Nu

Sou Lui Castanho: ator, performer, circense e roteirista. O trabalho autoral que desenvolvo tem forte ligação com questões de gênero e sexualidade.

Tenho 29 anos, nasci em Curitiba e me assumi transgênero aos 23 anos. Em 2012 tive o primeiro contato com as artes circenses, desenvolvendo principalmente as modalidades de acrobacia aérea. Em 2013 aproximei-me da coletiva performática Batalha Histérica de Levante e, a partir de então, iniciei a pesquisa em performance.

Me formei na primeira turma da Escola de Palhaços do Circo da Dona Bilica, onde participei de oficinas com Pepe Nuñez, Vanderleia Wil, Márcio Libar, Ricardo Pucetti  (LUME), João Artigos (Teatro de Anônimos) e Richard Riguetti (ESLIPA).

Desde 2015 tenho me dedicado a atuação. Participei de obras de teatro, como "O Jumento e a Moça" (Anäis Teatrum) e "Insônia" (Cia Pandora), e dos curtas "Tupinikuirs" (Jeffe Groshovski), "Lui" (Denise Kelm) , "Amor em 5 Atos" (Tiago Coutinho), "A Mudança" (Denise Kelm) e "Bicha-Bomba" (Renan de Cillo). Realizei curso de atuação em técnica Meisner-Mamet por Stephen Bayly (Inglaterra) e María Gowland (Argentina), na Escuela Internacional de Cine y Televisión (EICTV, Cuba); Workshop com Fátima Toledo, no Estúdio FT (São Paulo/SP); e sou formado no curso profissionalizante em atuação na Aktoro, escola de formação de atores (Florianópolis/SC).

Atualmente moro em São Paulo. Faço parte da Cia. Fundo Mundo, trabalho como ator, circense , roteirista, produtor e escritor.

CIRCO

Faço parte da Cia. Fundo Mundo, Cia Circense formada exclusivamente por pessoas trans e travestis. Como grupo, estreamos o espetáculo 'Sui Generis', que aborda o universo da transgeneridade de uma maneira ácida e provocativa.

Em meu trabalho solo, destaca-se o número "Desventuras em salto 10" (direção de Pepe Nuñez), que transita pela palhaçaria, acrobacia aérea e pirotecnia. Outro destaque é o espetáculo "Show de Horrores", em que participo com um número de acrobacia em plástico bolha. No repertório também consta números de acrobacia em tecido, solo e  duo, com a parceria de Ian Pooka, Juno Nedel e Noam Scapin.

No circo também trabalho com direção, trabalho que começou a partir das Mostras de Acrobacias Aéreas do Circo da Dona Bilica/Casa do Palhaço, passando pela experiência de assistência de direção na Cia. Gran Circo, e atualmente compondo o corpo de direção do espetáculo "Sui Generis", da Cia. Fundo Mundo.

Escrita

Cinema

Comecei a trabalhar com cinema em 2015. De lá para cá atuei em 4 curta-metragens de ficção: Tupinikuirs (2016); Lui (2018); Amor em 5 Atos (2018); e A Mudança (2018). Fiz a locução do curta Bicha-Bomba (2018). E participei do longa documental: Depois do Fervo (2017).

O destaque é o curta Lui, no qual atuo como protagonista. O filme teve sua estreia em Curitiba no Festival Olhar de Cinema, conquistando menção honrosa. Além disso, foi exibido no I Transforma, Festival de Cinema da Diversidade de Santa Catarina (Florianópolis/SC), onde conquistou diversos prêmios, inclusive o Prêmio de Melhor Ator.

Além de atuação, trabalho com roteiro. Dos filmes que realizei, 2 deles também assino argumento (Lui e A Mudança) e um deles o roteiro (Lui), todos em parceria com De Kelm. Com ele também trabalho no projeto "Valsa de Lui", um longa de ficção que está em fase de desenvolvimento de roteiro pela Haver Filmes, tendo passado pelo GrafoLab 2018 (Laboratório de Roteiro da Grafo Produdora, Curitiba/PR).

performance

Dentre meus trabalhos de performance, o destaque é "meu corpo n.7853", que, em uma atmosfera intimista, aborda fronteiras entre masculinidades e feminilidades desviantes, tendo como ponto de partida o processo de transição de gênero vivenciado por mim. Nessa mesma temática, com uma pegada mais chocante, desenvolvo "biomecânica de corpos imateriais", performance que se propõe à experimentação em acrobacia aérea e explora a (in)existência espetacularizada do corpo transgênero.

Porno

Em 2018 participei do meu primeiro filme adulto, "A Mudança", que forma parte da plataforma XConfessions, da Erika Lust Productions. O filme foi dirigido por Denise Kelm e estrelado por mim e por Jaspe Antares.

Antes disso, participei de alguns ensaios fotográficos, em sua maioria pelo olhar de Nu Abe e da gravação de uma gama de vídeos que por ora ainda não foram publicados.

Mantenho pesquisa e experimentação na área.

Assino o "Acnedotas de uma vi(a)dinha trans",  um projeto de contos quase verídicos sobre situações que vivencio no dia-a-dia. As anedotas possuem uma marcada veia humorística e tocam de uma maneira leve, porém não leviana, em temas que comumente são encarados com cautela ou como tabus.

Com Denise Kelm, assino argumento de "Lui" e "A Mudança", e do roteiro de "Lui". Atualmente, desenvolvemos o argumento do longa "Valsa de Lui", integrando o projeto GrafoLab, da Grafo Produtora (Curitiba/PR).

Minhas produções mais atuais podem ser encontradas no Instagram.

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle

site por: Lui Castanho | luicastanhocosta@gmail.com | +55 48 991150414